Eliminando medidas mais rapidamente!

reduzir medidas1 Aprenda algumas técnicas para acelerar a redução de medidas

O nome é auto-explicativo. A técnica tem como objetivo reduzir medidas e melhorar a circulação. Velha conhecida de quem se cuida, essa técnica, que funciona como uma verdadeira minilipo manual, volta a brilhar porque tem sido recomendada por médicos. “Os endocrinologistas a indicam para esculpir o corpo de quem perdeu muitos quilos e os cirurgiões plásticos como complemento da lipoaspiração”, comemora Vanda Regina da Costa, esteticista do salão Jacques Janine (SP).

Essas técnicas evoluíram muito nos últimos anos e desde que sejam feitas por profissionais sérios e acompanhadas da “lição de casa”, os resultados têm se mostrado animadores.

Quais às condições para que eles realmente funcionem.

Em primeiro lugar, é fundamental entender que só existem duas maneiras de eliminar a gordura que está acumulada sob a pele: ou queimando como energia ou fazendo lipoaspiração. E essas técnicas não fazem nem uma coisa, nem outra. Mas, então, como funcionam?

small slim body 300x198 Aprenda algumas técnicas para acelerar a redução de medidasA gordura, principalmente aquela acumulada há muito tempo, tem uma espécie de membrana, uma capa que dificulta sua mobilização para ser usada como energia. Essas técnicas não invasivas conseguem quebrar essa membrana, tornando a gordura mais líquida e facilitando sua utilização como energia para ser eliminada.

Portanto, é fundamental entender esse ponto. Esses tratamentos facilitam a utilização da gordura como energia, mas para que realmente exista essa utilização é preciso criar demanda.

E para criar demanda é preciso fazer dieta e exercícios. Isso mesmo, sem dieta e exercícios a eficiência desses tratamentos fica comprometida, já que a gordura passa a circular e como não tem utilização pode voltar a acumular sob a pele ou no fígado, causando problemas mais sérios.

Apesar de não ser mágica (já que para emagrecer não existe mágica, não é?), esses recursos podem ajudar principalmente a eliminar aquelas bolsinhas de gordura localizada que teimam em permanecer.

A esteticista Viviani Carrer explica que a massagem mobiliza os tecidos, melhorando a troca metabólica ente eles.

“Assim, auxilia a diminuir o edema, já que ativa a circulação sanguínea e linfática, além de acelerar a eliminação de toxinas. Essas massagens também oxigenam os tecidos, estimulando a produção de fibroblastos e, conseqüentemente, de colágeno”.

Se o objetivo é enxugar o corpo, a massagem redutora pode ajudar. Ela modela o corpo e melhora a aparência em regiões que as mulheres costumam ter acúmulo de gorduras, como glúteos, braços, culotes, além de afinar a cintura. Entretanto, se for feita de maneira inadequada, com pressão exagerada, pode ter efeito contrário e prejudicar a silhueta da mulher. “Se feita no sentido oposto às fibras musculares, pode causar flacidez naquele tecido, rompimento de micro-vasos, dor e edema, além de estimular disseminação de bactérias ou agente agressor em um quadro infeccioso ou inflamatório”, explica Viviani, que é professora do Centro de Educação Profissional Martinus, de Curitiba, PR.

istock weight loss2 300x199 Aprenda algumas técnicas para acelerar a redução de medidasA diferença da massagem modeladora para a relaxante, é a forma dos movimentos. Para auxiliar a modelagem e quebra dos nódulos de gordura, é necessário que o massagista faça movimentos mais fortes e com maior pressão, atingindo uma camada corporal mais profunda. Por isso, pode acontecer de algumas mulheres, após a sessão, ficar com a pele avermelhada.

Isso ocorre principalmente com pessoas de pele branquinha e que são mais sensíveis. Mas a pressão muito forte pode estourar os vasos sanguíneos e causar pequena hemorragia interna, que forma círculos de cor roxa na região afetada e causa dor e desconforto.

Logo, vale lembrar que a massagem não pode causar edemas no corpo. Muitas mulheres acreditam que a dor é um sinal de que o tratamento está fazendo efeito, o que é totalmente falso.  A massagem bem feita é aquela que reduz gordura localizada sem precisar machucar o paciente. Por isso, desconfie se o profissional disser que é normal a pessoa ficar levemente machucada ou com desconforto causado por hematomas.
Também participam desse processo cremes liporredutores, usados para facilitar o vaivém dos movimentos, com ativos tais como centelha asiática, cáscara-sagrada, cafeína, entre outros. “Os cosméticos hiperêmicos (que esquentam a região) amolecem a gordura, facilitando seu escoamento. Já os crioterápicos (que esfriam o local) fazem com que as células adiposas se agitem para esquentar a área resfriada, ajudando assim a dissolver os lipídios”, afirma Vanda Regina.

“Aliada a uma alimentação balanceada e hipocalórica e à prática regular de atividade física, a minilipo aplicada como automassagem proporciona a redução de até 2 cm da gordura localizada”, afirma Maria de Fátima, que também é professora de educação física. Ficou animada? Então siga o passo-a-passo ao lado e aprenda a fazer uma verdadeira lipo manual em casa.

Auto-Massagem Modeladora

Faça estes movimentos de forma rápida e profunda (usando um cosmético para potencializar os produtos) pelo menos três vezes por semana, com duração de 5 a 10 minutos cada sessão:
1222724991276 bigPhoto 11 Aprenda algumas técnicas para acelerar a redução de medidas

  • 1. Deslize as mãos com certa pressão, em movimentos alternados, em direção à virilha.
  • 2. Pince a gordura com a ponta dos dedos e vá levando as mãos do joelho ao alto da coxa.
  • 3. Friccione as mãos com vigor e pressão, do joelho para o culote, ativando a circulação.
  • 4. Passe as mãos com firmeza sobre o abdômen, massageando a região no sentido horário.
  • 5. Desloque as mãos de trás para a frente na cintura, com vigor e um pouco de força.
  • 6. Belisque a gordura e trabalhe a cintura de trás para a frente dos dois lados.

Fonte: Corpo em Foco

Anúncios

Exemplos de emagrecimento:

Abaixo o fast-food

Fernanda-depois

O trabalho estressante em um restaurante americano fez Fernanda engordar. Veja o que fez para perder:

Fernanda Del Vigna
São Paulo/ SP
Idade: 26 anos
Altura: 1,58 m
Peso: 63 kg
Quilos perdidos: 10 kg

O desafio
Depois que começou a trabalhar em um restaurante fast-food na Disney, nos Estados Unidos, Fernanda viu suas formas ficarem mais rechonchudas em pouco tempo. “Aprendi a comer muito e nada saudável, como todo americano”, revela. Veja o que ela fez para se livrar do excesso de peso.

Viagem da pesada
De família de italianos, Fernanda nunca fez o tipo mignon, mas também não tinha sérios problemas com a balança. “Comia normalmente porque era bem ativa no colégio”, conta. Aos 21 anos ela resolveu ir trabalhar na Disney, nos Estados Unidos. Ficou quatro meses por lá e voltou com o mesmo peso, ou seja, 63 quilos. “Trabalhava muito e quase não tinha tempo para comer. Também vivia à base de comida congelada de 300 a 400 calorias por refeição, o que não somava muitas calorias no final das contas”, explica. Ela veio para o Brasil para terminar a faculdade e decidiu que voltaria para lá, só que desta vez para se dedicar aos estudos.

Refrigerante em excesso
Para custear o curso, Fernanda começou a trabalhar em um restaurante fast-food em que o refrigerante era liberado. “Eu bebia igual água e não curtia muito a versão light”, revela. Isso sem contar os lanches, bolo de chocolate, torta de limão e batata-frita, que ela comia à vontade. Com esta alimentação recheada de açúcar, gorduras e o estresse que passava diariamente, começou a engordar. “Sentia que tinha umas sobrinhas de gordura por cima da calça. Mas como usava muito tecido de strech não percebia o estrago”, fala. Para ajudar, ela tinha um amigo brasileiro que trabalhava em uma pizzaria e vira e mexe agradava os amigos com as redondas. “Tudo que sobrava ele trazia para casa. Comia pizza, no mínimo, 2 vezes por semana. Elas são feitas com molho bar­­- becue, manteiga, queijo…”

fernanda-antes

Fim da linha
Fernanda teve que voltar ao Brasil para o casamento do irmão e usou um vestido tomara que caia, que deixava os braços à mostra. Foi nas fotos do casamento que ela percebeu seu tamanho. “Resolvi ir a uma endocrinologista porque estava 10 quilos acima do meu peso.” Nos exames que a especialista solicitou, descobriu que seu colesterol estava altíssimo. A médica indicou uma reeducação alimentar e atividade física. “Deixei o doce só para o final de semana e minha alimentação era mais salada e uma carne magra grelhada. O carboidrato, diminuí pela metade”, diz. Junto com a dieta, ela praticou pilates, 3 vezes por semana, e caminhada de 1 hora, 4 vezes na semana. Em 5 meses acabou com 10 quilos e baixou o colesterol. “O melhor é que aqui no Brasil reeduquei a alimentação e voltei a ser uma pessoa ativa.”

Segredinhos de quem conseguiu
> Faça pequenas substituições — “Só parei de comer o monte de tranqueira durante a semana e cortei pela metade o carboidrato.”
> Tenha sempre uma barrinha — “Quando a fome batia ou sentia vontade de doce, comia barra de cereal ou frutas desidratadas.”
> Capriche na primeira semana — “O difícil é o começo. Depois, você acostuma e nem sente o sacrifício.”

Calendário da malhação
> Pilates 1h30 / 3 dias por semana.
> Caminhada 1h / 4 dias por semana.

-11 kg sem radicalizar

Katia_Monteiro_Depois_materia

Comer em casa e dispensar ônibus para caminhar até o trabalho fez Kátia emagrecer, sem sacrifício.

Katia Monteiro
São Paulo — SP
Idade: 25 anos
Altura 1,60 m
Peso 53 kg
Quilos perdidos 11 kg

O desafio
Bastaram 3 meses na Inglaterra para Kátia engordar 10 quilos. “Mudei completamente a rotina e a alimentação. Só dei conta que estava gigante quando tive que comprar calças de tamanhos maiores”, fala. Quando voltou ao Brasil passou a caminhar e ter controle à mesa para conquistar o peso de volta.

Viagem gorda
Comer fora de casa durante o tempo que ficou fazendo intercâmbio na Inglaterra foi o suficiente para Kátia ver o ponteiro da balança disparar em pouco tempo, apenas três meses. “Lá eu só comia purê de batata bem calórico, comidas industrializadas e muito fast-food”, explica. Ela também passou por muitos momentos ruins com a perda de um amigo que­­­­­rido. “Fiquei bastante deprimida e­­­­­­ triste, e aí descontava tudo na comida”, revela. Enquanto esteve fora, ela não percebeu muito que seu peso tinha subido para os 64 quilos. “Senti minhas calças ficarem bem apertadas, mas não tinha ideia que tinha engordado tanto”, conta. Assim que voltou para São Paulo ouviu da mãe e de algumas amigas que estava mais gordinha. A jornalista passou a ana­lisar suas fotos da viagem e as antigas e percebeu o estrago que a Inglaterra havia causado no seu corpo. “Nada mais me servia, fui comprar roupa e fiquei assustada quando a calça que entrou foi 46! Antes eu usava 40 ou no máximo 42 dependendo do corte da peça”, lembra.

Comida caseira
Como sua família sempre se alimentou de forma saudável, Kátia não precisou fazer nada radical para eliminar os primeiros quilos. Só tinha que comer em casa. “Minha mãe não faz nada frito, só grelhado, gosta de cozinhar com pouco óleo e abusa dos legumes e verduras”, fala. Sem comer na rua, ela conseguiu acabar com cinco quilos em três meses. Só que estacionou. Como nunca foi fã de doces e refrigerantes e já estava comendo certo, achou que deve­­­- ria fazer a dieta, que corta o carboidrato da alimentação. Seguiu por um mês, mas não deu certo. “Não consegui ficar sem arroz.”

Ktia_Monteiro_Antes

No passo certo
Para perder os 5 quilos restantes ela decidiu caminhar. Começou fazendo 30 minutos em ritmo moderado em volta do quarteirão de casa todos os dias. “Minha motivação eram os cachorros que cruzavam comigo na rua. Pensava: vou caminhar para encontrá-los”, conta. Depois que co­­meçou a trabalhar e mesmo com o tempo curto, ela não parou com a atividade. “Dispensei o ônibus e fazia meia hora de caminhada para ir e mais meia para voltar do trabalho. Também comecei a fazer todos os dias exercícios com pesinhos e caneleiras, destes que são publicados na revista.” Resultado? Outros 6 quilos a menos na balança em 3 meses!

Segredinhos de quem conseguiu
> Tenha frequência. “Não adianta caminhar hoje e repetir só na semana que vem. Tem que bater cartão todos os dias”
> Acredite em você. “Via o ônibus que me deixava na porta do trabalho e queria pegá-lo. Mas lutei para caminhar. Vou a pé até hoje”
> Chega de desculpa. “Mesmo quando comecei a trabalhar, achei uma saída para mexer o corpo”

Calendário da malhação
> Caminhada e ginástica localizada 1h cada/ 5 dias por semana

-20 kg com ajuda da internet

neia_depois_materia

Com força de vontade e ajuda de um programa de emagrecimento virtual, Neia voltou a sua forma

Por Renata Menezes

Neia Mackievicz
São Paulo — SP
Idade: 32 anos
Altura: 1,65 m
Peso: 57 kg
Quilos perdidos: 20 kg

O desafio
A depressão e a compulsão por doces foram responsáveis pelos 20 quilos que Neia ganhou em menos de 2 anos. Passado o período de desistir de si mesma, ela resolveu atacar de todas as formas para recuperar sua antiga silhueta e ganhar mais saúde. Veja como ela conseguiu.

De magra a gordinha
Tudo aconteceu muito de repente na vida da estudante de arquitetura Neia Mackievicz. Depois que casou, ela soube que tinha endometriose e que não poderia engravidar. “Só descobri quando passei a tomar anticoncepcional por conta própria e comecei a sentir dores horríveis”, fala. Depois disso, ela se entregou para a comida. “Fui da felicidade à tristeza em pouco tempo. Tinha um casamento feliz que ficou abalado por causa do meu ­­­­­­ problema de saúde”, conta. Neia resolveu sair da academia, que fazia por muitos anos, e largar a vida saudável. Só queria saber de comer e ficar em casa trancada com muito chocolate na despensa. “Comia até não caber mais, atacava doces, principalmente chocolate e trufas, todos os dias. Cheguei a ganhar de 3 a 4 quilos por semana. Um absurdo!”, revela.

neia_antes

A solução em um clique
Ela só resolveu colocar um ponto final em tudo quando foi comprar uma calça e o tamanho que serviu era 46. Chegou em casa arrasada e pediu para o marido buscar uma trufa de chocolate. “Ele, que nunca falou nada sobre isso, disse: ‘Amor, você precisa parar porque está virando uma baleia’”, lembra. Na hora, Neia chorou, ficou bem triste, mas a frase do marido foi suficiente para acordá-la. “Pedi ajuda a ele porque não iria conseguir sozinha”, comenta. No mesmo dia, os dois decidiram entrar na internet para procurar um especialista e encontraram o site CyberDiet. “Assinei o programa de reeducação alimentar que dá direito a orientação nutricional por chat e e-mail. Diante do meu perfil, a indicação foi começar com uma dieta de 1.600 calorias diárias. Não cortava nada, só o doce. Na mesma época fiz a cirurgia da endometriose para me livrar das dores.”

Menos peso, mais saúde
Com a ajuda do site, de uma nutricionista que ela resolveu contratar para intensificar o processo de emagrecimento on-line, uma endocrinologista e uma terapeuta, conseguiu acabar com 5 quilos em um mês. “Comia gelatina e banana com canela para suprir a necessidade do chocolate. Aprendi a comer queijo branco, alimentos que antes não consumia e que fazem toda a diferença no café da manhã.” Quan­do se recuperou da cirurgia, ela também resolveu caminhar com o marido por 1 hora todos os dias em um bosque perto da sua casa. Em 10 meses acabou com 20 quilos.

Segredinhos de quem conseguiu
> Tem que malhar. “Como em São Paulo chove muito, eu andava até debaixo de chuva. Nos dias de tempestade forte, corria na esteira.”
> Crie uma meta. “Queria perder 3 kg por mês e não sossegava enquanto não atingia meu objetivo.”
> Não desista. “Não é porque você já está gorda que tem que esquecer de tudo. Hoje são 5 kg a mais, amanhã podem ser 15 kg.

Calendário da malhação
> Caminhada 1h / 7 dias por semana

Fonte: Revista Shape