Bla bla bla da dieta da blogueira

Pois é, os dias estão voando e a gente engordando, certo? Jamais!

Estação gostosa, muitas flores por aí, perfumes, cores. Falando em cores, estou toda animadinha com as cores da primavera / verão. As que já subiram à cabeça são: azul royal, vermelho cereja e laranja. Essas estão em calças, sapatilhas e batons meus.

Além das flores, é claro. Muito charmosa esta estação do ano. E tem mais coisa que nossa blogueira quer: um cinto dourado. Vi muito dourado das coleções famosas por aí, desde shorts à sandalhinhas. E quero, e vou ter!

Sobre a balança, ela anda bem. Oscilando mais para cima que para baixo, tentando a cada dia me deixar mais frustrada. A alimentação está bacana também, apenas uma mudança que para mim é quase que radical: não como comida calórica a noite. Vou explicar como é o novo sistema.

Publicado em 03/08/2011

Estudo diz que dietas fazem células do cérebro se canibalizarem:
Um estudo publicado na revista científica Cell Metabolism pode ajudar a explicar por que é tão difícil seguir uma dieta de emagrecimento.
Segundo a pesquisa, quando se passa fome, os neurônios responsáveis por regular o apetite passam a comer partes deles mesmos.
Os cientistas acreditam que isso aconteceria porque após um período de jejum e o uso emergencial de reservas de gordura, o corpo receberia um sinal de que há uma falta de comida e faria com que as células se alimentassem delas mesmas.
Os experimentos realizados com camundongos em laboratório revelaram que o ato de “autocanibalismo” destas células gera a liberação de ácidos graxos, que por sua vez resulta em níveis mais altos de uma substância química no cérebro (a proteína agouti, AgRP) que estimula o apetite.
Um dos responsáveis pelo estudo, o pesquisador Rajat Singh, do Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, acredita que remédios que interfiram neste processo de autofagia das células do cérebro poderiam ajudar a tratar a obesidade, fazendo com que as pessoas sintam “menos fome e queimem mais gordura”.
Segundo ele, quando a autofagia foi bloqueada nos neurônios dos camundongos, os níveis de AgRP não se elevaram em resposta à fome e os níveis de outro hormônio, o hormônio estimulante dos melanócitos, permaneceram altos. Esta alteração na química do corpo levou os camundongos a ficarem mais magros, já que eles comiam menos após um período de jejum e gastavam mais energia.
Por outro lado, Singh explicou que níveis cronicamente altos de ácidos graxos na corrente sanguínea, como acontece em pessoas com dietas ricas em gordura, podem alterar o metabolismo dos lipídios, “criando um circulo vicioso de superalimentação e equilíbrio de energia alterado.”
O estudo também pode ajudar a explicar por que o apetite tende a diminuir com a idade, já que as células de um corpo mais idoso não conseguiriam realizar a autofagia tão bem.

Fonte: BBC Brasil
Leia notícia no site de origem:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/08/110803_dieta_canibalismo_is.shtml

Café da manhã normal, alguma coisinha lá pelas 10hs como uma maça por exemplo, almoço normal com carne, salada e algum carboidrato – se tiver batata frita eu como também =x, a tarde lá pelas 16hs melancia e às 18h ou 19hs alguma coisa que sustente, pode ser um pão com queijo e leite, ou algo do tipo, de preferência algo salgado. Apartir daí mais nada. No máximo uma fruta ou um leite desnatado quente. Lindo não?

https://ninassweet.files.wordpress.com/2011/10/tumblr_lp6d0zohmw1qfdbam.jpg?w=300

Lindo porquê? Porque a boneca que vos escreve jantava todo dia, comia lanche, batata frita, sorvete, e mais um monte de besteiras perto da hora de dormir. A noite era minha hora, meu conforto no seio dos lanchinhos. Aí juntava o filme e pronto, besteira formada.Quer dizer, gordura formada né.

Mas isso a-c-a-b-o-u! E quer saber? Me sinto tão bem. Durmo super bem, acordo as 6h da manhã super descansada, e até de bom homor.

Se foi fácil? Não. Nunca é fácil, mas fui mudando aos poucos. No primeiro dia foi uma tortura, uma fome arrebatadora, uma ilusão de fraquesa…um verdadeiro absurdo. Tudo mentira do meu corpo, parecia que o mundo ia acabar amanhã.

Isso durou uma semana mais ou menos, aí fim de semana janto normal, como carboidrato normal, até porque fim de semana a gente sai, namora e tals, e ninguém merece sair pra comer pizza e pedir salada.

Agora a coisa está indo bem, virou cotidiano. Aquele desespero por doces não vem mais a noite, de dia até ele aparece, mas logo sossega com um copo de água gelada (ou com um super pedaço de torta).

ps: hey, não faço dieta ou r.a. para ter ossinhos aparecendo, mas sim para entrar em minhas calças 40 e ficar contente, porque me acho bonita do jeito que eu sou.

Beijos e boa primavera todos!

May.

Reeduque seu cérebro, remodele seu corpo!

Perda de peso é uma questão de entendermos como nosso cérebro funciona e o que nos faz sentir vontade de comer. Trata-se também de analisarmos como a indústria alimentícia trabalha para que consumamos mais e mais comida, indo além do que precisamos.

Por Georgia D. Andrianopoulos.

“Se você quer perder o excesso de peso para sempre e remodelar seu corpo, provavelmente é melhor esquecer tudo o que sabe sobre excesso de comida e ganho de peso”. A dica, acreditem, é certa, e pertence à Georgia D. Andrianopoulos, autora de Retrain Your Brain, Reshape Your Body (Reeduque seu Cérebro, Remodele seu Corpo).

Georgia D Andrianopoulos é Ph.D, além de ser uma psicóloga fisiológica com mais de 17 anos de experiência no campo da auto-regulação alimentar e perda de peso. É também diretora dos Centros de Treinamento de Boa Forma Cerebral em Chicago, nos Estados Unidos.

A autora conta: “Escrevi este livro para lhe fornecer um início de um novo caminho para seguir, longe do que percebo como abordagens ultrapassadas, irracionais, ineficientes, prejudiciais e até mesmo desumanas de gerenciamento de peso”.

Perda de peso é ainda uma questão de comer menos e exercitar-se mais, de consumir menos calorias e queimá-las de forma eficiente. “Você pode entrar numa dieta atrás da outra, talvez já o tenha feito, e são grandes as possibilidades de que você recuperará qualquer peso que perca.”

Qual é o motivo? A dieta ataca somente os sintomas do seu problema de peso, não a causa.

Para sair dessa, você terá que reeducar o seu cérebro. Preste atenção naquilo que te faz comer! Praticamente todo mundo come por motivos que não têm nada a ver com a fome!

Estar acima do peso é um sintoma de um cérebro preguiçoso ou de uma interrupção na capacidade de seu cérebro regular funções e sistemas essenciais, incluindo aquelas responsáveis pelo ato de comer e controle do peso.

Quando o cérebro está num estado de desregulação, ele se comporta de forma análoga àquela quando você está atrasado: começa a tentar compensar, roubando o tempo de alguém para poder atender o outro.

Se o seu cérebro não está fluindo bem ou está oscilando, seu desempenho também sofre. Assim, por exemplo, o cérebro pode perder a capacidade de reconhecer e manter um peso saudável . E aí você vai em frente e devora um pacote de batatas fritas em questão de minutos, enquanto o seu bom senso observa tudo isso horrorizado!…

Mas afinal, por que e como ocorre essa desregulação no seu cérebro?

Pode ser que o seu cérebro tenha sido programado para comer demais pelo estado nutricional de sua mãe, antes de você nascer!

No entanto, seus padrões alimentares ─ o quanto você come, os tipos de comida que você deseja ─ continuaram a ser construídos durante a sua infância e ao longo de sua vida.

Os alimentos que você come hoje, juntamente com suas experiências emocionais e bem-estar físico, determinam o que e quanto de comida você almejará amanhã!

A boa notícia é que o cérebro é um órgão brilhante que está sempre aprendendo e se reconectando. Então, o que você assimilou com anos de hábitos alimentares ruins ou inapropriados, pode ser desfeito reeducando-o em outra direção.

Um cérebro equilibrado faz com que você se sinta melhor, quando está comendo de forma saudável. Parece simples, e é! Porém, simples não quer dizer exatamente que é fácil.

Contra-ataquereeduque seu cerebro2 300x264 Reeduque seu cérebro! Remodele seu corpo

Georgia D. Andrianopoulos, desenvolveu o programa de Treinamento de Desempenho Ótimo (TDO), que consta de um conjunto de exercícios para o cérebro que se concentre na perda de peso.

Os exercícios são projetados para impulsionar o desempenho global do cérebro, e têm como alvo áreas que são especialmente importantes para a regulação da alimentação e do peso.

Esse treinamento ocorre em três etapas:

1ª Etapa Descobrir

Nesse primeiro estágio é imprescindível identificar e analisar a própria oscilação pessoal e entender como ela afeta sua alimentação.

Existe um “cérebro alimentar”, ou seja, um conjunto de estruturas e processos, acionamentos e mecanismos do cérebro que regulam o nosso núcleo de alimentação: com que frequência buscamos comida.

O cérebro alimentar de uma pessoa normal com um peso médio é acionado cerca de três vezes ao dia. Mas, para muitas pessoas, ele é acionado por desequilíbrios, várias vezes ao dia (mais de três).

O resultado é que elas se encontram em modo de alimentação quase constantemente.

2ª Etapa Reestruturar

Aí, busca-se analisar de onde vem a oscilação, começando a olhar para a alimentação de uma forma totalmente nova.

Reestruturar permite que você veja as verdadeiras causas do seu excesso de comida, de modo a mudar seus esforços e encontrar soluções para o seu problema de ansiedade.

3ª Etapa Reeducar

Nesse estágio a pessoa precisa fazer a “malhação” para levar o seu cérebro ao desempenho ótimo, de forma que ele procure sempre o equilíbrio na vida saudável.

Reprogramar ajuda você a prever e prevenir as situações que fazem com que você coma demais, regulando e equilibrando seu cérebro, tornando-o mais poderoso e dinâmico, como pretendia a natureza.

Fonte: DVS Editora

Você vive de lixo?

Metaforicamente comer lixo significa ingerir alimentos altamente gostosos, mas destituídos de fibras e elementos nutritivos. Tradicionalmente, os maiores comedores de lixo do mundo são os europeus e os norte-americanos, que exportaram a cultura dos hipercalóricos para o resto de planeta.

1- Você ama pizzas, especialmente pizza calabresa, acima de tudo?
1ª unanimidade entre os comedores de lixo.

2 – Você adora frituras?
2ª unanimidade.

3- Você detesta frutas e Saladas?
Uma comedora de lixo me confessou alegremente que eventualmente comia salada… de maionese. Ou seja, o nome salada bastava para lavar o seu sentimento de culpa.
Se o que você chama de salada é o resquício de alface e tomate soterrados em meio à gordurama da foto, está na hora de rever os seus conceitos.

4- Seus alimentos saudáveis preferidos são alienígenas?
É altamente suspeito você responder que gosta de melancia, salmão, suco e caviar, se o seu interesse por frutas não for além do aspecto meramente decorativo desempenhado pela framboesa abaixo.

5- Você se declara um carnívoro consumado?
3ª unanimidade. Eis uma característica que não pode faltar na personalidade do comedor de lixo.

 

 

 

 

 

 

6- Você troca alegremente o Slow Food pelo Fast Food?
Bem vindo ao clube! Todos os comedores de lixo manifestam tal tendência.

7- Seu maior esforço físico é o levantamento de pratos gordurosos?
Então continue vivendo o presente como um momento eterno enquanto dura, já que não haverá futuro mesmo.

8- Você é tarado por acepipes oriundos da suinocultura?
Uma das estranhas semelhanças entre os comedores de lixo é o seu voraz apetite por derivados de porco.

9- Você adora milk shake?
4ª unanimidade.

10 – Você acredita piamente que X-burger é alimento?
5ª unanimidade.

Conclusão.
Conheço uma comedora de lixo incorrigível, cujo consumo eventual de comidas saudáveis se resume a arroz, feijão e farofa.
Assim, se a variação cotidiana do seu cardápio gira em torno de cup noodles, snacks, balas, Nuggets, sorvete, milk shake batatas fritas, queijos, hamburger, cachorro quente, refrigerante, pizza, salgadinho, lasanha, etc., então a carapuça do comedor de lixo lhe cai como uma luva.

Caso você tenha respondido afirmativamente a mais de 6 perguntas, tenha em mente que, pior do que morrer cedo é viver o resto da vida como morto. Então, considere seriamente a possibilidade de mudar o estilo de vida, enquanto há tempo.

Fonte: http://www.blogpaedia.com.br/