Proteína:

Ela está sempre presente no prato de quem mantém uma alimentação equilibrada. afinal, a proteína tem papel essencial no crescimento, reparação e renovação de células e tecidos, como ossos, músculos, pele, unhas e cabelo. E mais: ela é responsável também pela produção de enzimas, anticorpos e hormônios, que atuam no bom funcionamento do organismo.
E como se não bastasse essa lista de vantagens, agora ela é a queridinha da vez para quem quer manter o corpo enxuto e dar adeus aos pneuzinhos. “Alimentos proteicos demoram mais tempo a serem digeridos e absorvidos pelo organismo. Por isso, prolongam a sensação de saciedade e reduzem a compulsão por carboidratos e doces. Com a demora na digestão, o organismo passa a usar a gordura para produzir energia, o que leva à perda de peso”, explica Roseli Rossi.

Ou seja, a proteína afasta a fome por um período maior, o que ajuda qualquer mortal a controlar o garfo. Mas cuidado: para emagrecer sem perder a energia, é preciso diminuir – e não abolir – as porções de pães e massas, priorizando a versão integral. “Quando se reduz o consumo de carboidratos, o nível de insulina na circulação diminui. E quanto menor a taxa desse hormônio no sangue, melhor! Afinal, ele é o responsável pelo temível acúmulo de gordura na cintura e nos quadris”, explica a nutricionista.

A CIÊNCIA COMPROVA

– Um estudo recente publicado pela Universidade de Copenhague, na Dinamarca, provou que a proteína merece a boa fama. O trabalho, realizado desde 2005, envolveu 772 famílias distribuídas em oito países europeus, e constatou que as pessoas que seguiram uma dieta rica em proteínas magras tiveram um aumento de peso menor do que aquelas que adotaram um regime pobre em proteínas.

– Um trabalho recente, publicado no British Journal of Nutrition, revelou que o consumo de proteínas no café da manhã multiplica em até cinco vezes a sensação de saciedade ao longo do dia.

Top 10: os mais protéicos:

Alimento (porção de 100g)                            Valor de proteína (g)

1. Soja em grãos                                      36

2. Filé mignon grelhado                            35

3. Peito de frango assado sem pele         33

4. Leite em pó desnatado                         33

5. Sardinha assada                                   32

6. Fígado bovino grelhado                        30

7. Merluza assada                                     27

8. Carne moída                                          27

9. Cação cozido                                         26

10. Bacalhau cozido                                    24

Fonte: Roseli Rossi, nutricionista da clínica Equilíbrio Nutricional (SP) -Revista Corpo a Corpo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s